Buscar
  • Rey Araujo

COMO DEVE SER O SEU MARKETING NA ERA DIGITAL

Atualizado: Mar 27

Não é novidade para ninguém (e espero que não seja para você... rs) que a forma de fazer Marketing evoluiu muito. Principalmente nas últimas duas décadas, em função dos avanços da tecnologia que, se por um lado, ofereceu uma quantidade imensa de novas ferramentas para que empreendedores e profissionais de Marketing pudessem entender e se relacionar melhor com o consumidor, por outro, tornou esse mesmo consumidor muito mais informado e empoderado, equilibrando a relação de consumo.


Afinal, quem aqui nunca fez uma pesquisa no Google, nas redes sociais ou no site de uma empresa antes de definir pela compra de um produto ou serviço? Quem aqui nunca solicitou informações pelo Whatsapp ou chat de uma empresa? Quem nunca pediu comida pelo Ifood ou um carro pelo Uber?


Pois é, o Marketing na Era Digital está no nosso dia a dia. Ele trabalha com a gente, dorme com a gente, come com a gente, se diverte com a gente...


E o fato é que muitas empresas e profissionais de Marketing ainda não se deram conta disso, o que tem gerado consequências não apenas financeiras para as empresas, mas também na sua imagem, reputação e na satisfação do cliente etc.


O objetivo deste post é ajudar empreendedores, profissionais de marketing, estudantes de comunicação e a todos os interessados em Marketing a entender como ele evoluiu até os dias de hoje e COMO PRATICA-LO NA ERA DIGITAL.


Imagem representado as 4 fases da evolução do marketing: uma do Ford T, uma do cigarro Hollywood, uma da marca reserva e uma do Uber.

QUANDO O MARKETING FOI CRIADO?

O processo de evolução processo de evolução do Marketing se iniciou muito antes do aparecimento dos primeiros computadores, da internet discada ou da TV em cores.


Há artigos relacionando o nascimento do Marketing com a criação da escrita, há cerca de 3.500 anos antes de Cristo; com a invenção da prensa de tipos móveis de Guttemberg, no século XV, que marca o início da comunicação de massa; ainda no século XV com o início do Mercantilismo; e, com a 1ª revolução industrial, no final do século XVIII, em função da criação e desenvolvimento das indústrias, dos mercados consumidores, dos processos produtivos em grande escala etc.


Particularmente, sigo a linha dos que entendem que o Marketing como conhecemos hoje teve seu início logo após a Segunda Grande Guerra (1939 - 1945), quando a produção em massa e sem diferenciação vai ficando para trás e as empresas iniciam um processo de direcionamento estratégico (ainda que simples) de suas vendas. Para isso, passaram a conhecer e explorar melhor seus mercados consumidores e, a partir daí, trabalhar suas ações de forma mais direcionada por meio da segmentação dos mercados, posicionamento de mercado e propaganda pelos meios de comunicação.


Mas voltando aqui pro nosso objetivo, que é entender como o Marketing evoluiu até a Era Digital e a potencializar seu uso nos dias atuais, vou considerar a linha histórica traçada por Philip Kotler, que dividiu a evolução do Marketing em quatro fases principais, que vão do 1.0 ao 4.0.


Entender esta evolução é importante para que você compreenda o cenário atual do Marketing na Era Digital, a importância do desenvolvimento das estratégias certas e a utilização de determinadas ferramentas (tanto ON, quanto OFF line), principalmente aquelas voltadas para a comunicação e relacionamento com o consumidor.

Infelizmente, muitos empreendedores – e até profissionais de Marketing - ainda praticam um Marketing ultrapassado e deixam de aproveitar grandes oportunidades oferecidas pela Era Digital e, em alguns casos, são obrigados a ver suas receitas engolidas por uma concorrência mais antenada e engajada com as novas tecnologias.





MARKETING 1.0 - MARKETING FOCADO NO PRODUTO

Objetivo principal: A VENDA EM MASSA


Em sua fase 1.0, o Marketing tinha como principal objetivo a produção e venda de produtos para a massa de consumidores. Era o Marketing focado exclusivamente no Produto.


O objetivo das fábricas era produzir com foco no ganho de escala para alcançar o menor custo possível e o maior número de compradores, suprindo necessidades básicas de consumo.


A principal tecnologia era relacionada a equipamentos industriais.


Foi nessa época que Henry Ford disse a famosa frase “O carro pode ser de qualquer cor, desde que seja preto.”


Principais características:

  • Foco na venda massiva

  • Revolução industrial

  • Marketing focado no produto funcional

  • Sem diferenciação

  • Necessidades físicas

  • Tecnologia industrial

  • Alta demanda, pouca oferta


MARKETING 2.0 - MARKETING FOCADO NA SATISFAÇÃO DAS NECESSIDADES E DESEJOS DO CONSUMIDOR

Objetivo principal: RETENÇÃO


Com o aumento da oferta, entender as necessidades do consumidor se tornou o mantra desta segunda fase do Marketing. Isso porque, entendendo suas necessidades e preferências de consumo, seria possível desenvolver diferenciais físicos e emocionais para as marcas, e assim, posicioná-las com certa exclusividade na mente do consumidor em relação aos principais concorrentes.


Nesta fase, temos um consumidor mais bem informado e com mais facilidade em comparar produtos e serviços semelhantes em relação à fase 1.0.


O valor deixa de estar apenas no produto em si, mas nos aspectos emocionais trabalhados exaustivamente em campanhas publicitárias que – quase sempre - atingiam em cheio o coração e a mente do consumidor.


Por isso, era muito importante que as empresas desenvolvessem estratégias e ações focadas em segmentação e posicionamento de mercado, com o intuito de se diferenciar e conquistar a mente – e consequentemente – a preferência dos consumidores.


Sendo assim, é importante entendermos que a fase 2.0 do Marketing é orientada não apenas pelas necessidades do consumidor, mas por seus desejos. Para se diferenciar e conquistar o consumidor, era necessário alcançar seu coração e sua mente.


Principais características:

  • Foco na satisfação e retenção

  • Comunicação direcionada ao coração e mente do consumidor

  • Segmentação e Posicionamento definidos

  • Produto funcional e Posicionamento emocional

  • Tecnologia da informação


MARKETING 3.0 - MARKETING FOCADO NA PLENITUDE DO SER HUMANO

Objetivo principal: FAZER DO MUNDO UM LUGAR MELHOR


Na fase 3.0, o Marketing inicia seu processo de “digitalização”. É uma fase que também marca a mudança de paradigma das empresas, que passam a ser valorizadas não apenas pela qualidade e posicionamento de seus produto/serviços mas pela forma que posicionam suas ofertas de valor, missão e visão diante de questões socioeconômicas, culturais, ambientais etc., enxergando os consumidores como seres humanos de forma plena no dia a dia.


Era necessário que as empresas se diferenciassem por suas crenças e valores na busca por um mundo melhor. Enfim, foi preciso que as marcas se humanizassem, garantindo não apenas satisfação funcional e emocional, mas também satisfação espiritual para esse consumidor.


O Marketing 3.0 enxerga os consumidores como seres humanos completos, cujas necessidades e esperanças não devem ser negligenciadas.


Outro grande vetor do Marketing 3.0 é a tecnologia, que permitiu aos consumidores se relacionarem entre si e com as marcas por meio de redes sociais como Orkut, Myspace, Facebook; consumir conteúdos por meio de plataformas como Youtube; compartilhar carros; aprender por sites de cursos e universidades; entre outras diversas formas, muitas delas existentes até os dias de hoje.


Tudo isso contribuiu para que o Marketing 3.0 se tornasse um misto de colaborativo, cultural e espiritual, “...complementando o Marketing emocional (2.0) com o Marketing do espírito humano.”


Principais características:

  • Marketing focado nas crenças e valores do consumidor

  • Foco no coração, mente e espírito

  • Missão, visão e valores empresariais

  • Colaboração, pensamento global, cultura local e espírito


MARKETING 4.0 - MARKETING NA ERA DIGITAL

Objetivo principal: CRIAR DEFENSORES DA MARCA

A fase 4.0 do Marketing é uma consequência natural da fase 3.0. O grande desafio das empresas e profissionais de Marketing é se adaptar ao novo consumidor da era digital e às novas tendências como a economia compartilhada, integração de canais físicos e digitais, marketing de conteúdo, mídias sociais, inteligência artificial, big data etc.


O consumidor está conectado, praticamente, 24hs por dia em seus laptops e smartphones, que se tornaram os principais canais de entretenimento, educação, compras, transporte, alimentação. Enfim, é tudo digital.


O consumidor 4.0 é imediatista e busca cada vez mais a personalização de produto/serviços, cabendo às empresas, a busca e utilização de dados fornecidos não apenas pelas tradicionais pesquisas de Marketing, mas também por plataformas como Google Analytics, Facebook Insights etc.


As empresas – principalmente as de maior porte -, podem lançar mão de BI e Big Data para mapear novos segmentos, observar novas características e comportamentos do consumidor e, assim, suprir suas necessidades com ofertas de valor praticamente sob medida.


Definir segmentos, posicionar as marcas, conhecer a jornada de compra do consumidor e acompanhá-lo até se tornar um defensor da marca é essencial para o bom desempenho das empresas na era digital. É a partir daí, que devem ser desenvolvidas as boas práticas de Marketing no intuito de engaja-lo, fideliza-lo e, por fim, torná-lo um advogado da marca.


Para isso, é essencial planejar o uso de canais digitais e offline em campanhas de Marketing e vendas integradas e cada vez mais interativas, estando sempre atentos ao monitoramento de indicadores e métricas para alcançar a melhoria contínua nos resultados.


Principais características:

  • Era da economia digital

  • Consumidor hiperconectado e imediatista

  • Foco na Jornada de compra

  • Compartilhamento e colaboração

  • Omnichanel

  • Comunicação baseada em Conteúdo

  • BI, Big Data

  • Consumidor empoderado


AS EMPRESAS E O MARKETING NA ERA DIGITAL

Bem, esse é o cenário do Marketing 4.0 – O Marketing da Era Digital. E é necessário que as marcas se adaptem a esse novo ambiente digital e o utilizem a seu favor, aproveitando a tecnologia para desenvolver novas formas e canais de vendas, novos canais de comunicação e relacionamento com o cliente, novos valores empresariais etc., e assim, melhorar cada vez mais sua proposta de valor para suprir as necessidades e desejos de consumo.

Afinal, esse cenário hiper conectado exige das empresas uma mudança de paradigma muito mais profunda do que conseguir likes e seguidores nas redes sociais. É necessário praticar um Marketing cada vez mais planejado, segmentado e alinhado às expectativas e necessidades desse novo consumidor da era digital.



Então é isso.


Espero ter te ajudado a entender como o Marketing evoluiu até hoje e COMO PRATICA-LO NA ERA DIGITAL. Mas se houver alguma dúvida, fique à vontade para perguntar.

Avante!


Rey Araujo

Especialista em Marketing

22.99731.2345

lgr@lgrmarketing.com.br

www.lgrmarketing.com.br


Sobre o Autor

Sou especialista em Marketing e ajudo empreendedores e profissionais liberais de diversas áreas a alcançarem ótimos resultados comerciais por meio do Planejamento, Execução e Controle de Estratégias de Marketing e Marketing Digital.


Autor do curso "MARKETING ESTRATÉGICO PARA PEQUENOS NEGÓCIOS".


Sou formado em Propaganda e Marketing pela Universidade Gama Filho - RJ. Possuo MBA em Marketing pela ESPM - RJ e pós-graduação em Gestão de Vendas e Negociação pela Univ. Cândido Mendes - RJ, além de diversos cursos e especializações na área digital.


Iniciei minha carreira em 2001 como Redator Publicitário, passando por diversas agências no Rio de Janeiro e ingressei na área de marketing como estagiário na Golden Cross em 2003.

Por mais de 12 anos atuei na gestão de Marketing em empresas de diversos segmentos como Metalurgia, Tabaco, Tecnologia da Informação, Petróleo, Biotecnologia, Previdência, etc.

25 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo